Tags

, ,

Referências do contador de histórias Fabio Lisboa:

 Esta história é tradicionalmente contada pelo povo Cherokee e se tornou uma parábola recontada em muitas culturas. Existe a versão mais curta que não fala sobre a agressividade do menino e não se estende sobre os predicados dos lobos. Eu recontei aqui a versão mais longa. Tive a sorte de ter um avô contador de histórias e acho poderosa esta imagem de um adulto mais velho que entende os dilemas das crianças, que confessa que também tem suas fraquezas mas que dá pistas de como superá-las.

lobos

Os anciões Cherokee estavam preocupados com um dos garotos da tribo que, por se sentir injustiçado, tornou-se agressivo. O avô do menino o traz para perto de si e diz:

– Eu entendo sua raiva. Há uma batalha terrível entre dois lobos que vivem dentro de mim. Esses dois lobos tentam dominar o espírito de todos nós.

Um é Mau. Seus dentes são fortes como raiva, inveja, ciúme, tristeza, cobiça,arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade,orgulho, superioridade e ego.

O outro é Bom. Seu olhar é forte como alegria, esperança, serenidade, paz, humildade, empatia, bondade, generosidade, verdade, perdão, compaixão, harmonia e fé.

O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô:

– Qual lobo vence?

O velho índio respondeu:

– Aquele que você alimenta!

********************

História retirada daqui, aonde aliás você encontra histórias bacanérrimas que vão encantar crianças, jovens e adultos.

 

Anúncios